PSQ Portas e Janelas de Correr de Alumínio

Autor: psqaluminio

O Programa Setorial da Qualidade acaba de publicar o quarto relatório dos sistemas homologados.  O documento apresenta os produtos avaliados, a normalização adotada, o processo de homologação dos sistemas e os sistemas já homologados pelo PSQ.

Esta é a primeira vez que toda a cadeia produtiva das esquadrias está sendo envolvida em um sistema completo para avaliar a qualidade dos produtos do início ao fim do processo produtivo, envolvendo além da mantenedora AFEAL – Associação Nacional de Fabricantes de Esquadrias de Alumínio, também a ABAL – Associação Brasileira do Alumínio como coparticipante do projeto.

A utilização de sistemas homologados é condição fundamental para a participação ou o atrelamento dos fabricantes de esquadrias ao PSQ, seja como fabricante participante, seja como fabricante multissistema.

Foram avaliadas a qualidade e resistência mecânica dos perfis utilizados, o tratamento de superfície dos perfis, a qualidade e vida útil de projeto dos componentes e também foi determinado o desempenho potencial dos sistemas de perfil no processo. Foram homologados os sistemas para as esquadrias-alvo do PSQ com base nos resultados obtidos os ensaios dos perfis, selantes e demais componentes, do confronto de suas partes e da montagem da janela com os projetos, além dos ensaios de desempenhos com janelas construídas a partir dos sistemas. Para estas avaliações, foram utilizadas a normas técnicas ABNT NBR 10.821 – Esquadrias para Edificações e NBR 15.575 (“Norma de Desempenho”).

Toda vez que o programa tiver novos sistemas homologados, a lista será atualizada.

Clique para ler o relatório completo!

Acaba de ser publicado o Relatório Setorial – Portas e Janelas de Correr de Alumínio n° 002 no site do Ministério das Cidades. O documento aponta a relação de empresas qualificadas pelo Programa Setorial de Qualidade de Portas e Janelas de Correr e é uma ferramenta fundamental para que as construtoras, a indústria, o varejo e o consumidor final conheçam as empresas que produzem dentro de norma e que estão comprometidas com a qualidade e segurança do produto que entregam ao mercado.

O relatório avaliou as empresas fabricantes com sistemas próprios, além de 12 empresas multissistemas (atreladas), ou seja, aquelas que são avaliadas obra a obra, desde que as esquadrias sejam produzidas a partir de sistemas homologados pelo programa.

“Cumprimos mais uma etapa do nosso programa, que vem tomando corpo e avançando a cada nova etapa. Lembramos que os relatórios para as empresas são trimestrais e, a cada novo relatório, temos novos participantes, o que mostra como nosso programa vem ganhando o reconhecimento do mercado”, diz Antônio Antunes, presidente da AFEAL.

Os produtos avaliados pelo PSQ são as janelas de correr em alumínio com duas folhas de vidro, as janelas de correr com três folhas com veneziana e as janelas de correr com duas folhas de vidro e persiana integrada, as três tipologias com dimensões máximas equivalentes a 1,2 m x 1,5 m. Lembramos que as esquadrias de correr correspondem a 58% do mercado organizado de esquadrias.

Entre os testes aplicados, estão o de estanqueidade à água, resistência a cargas distribuías, verificação da resistência ao esforço horizontal, verificação de resistência à flexão da esquadria, comportamento sob ações repetidas de abertura e fechamento, índice de redução sonora ponderado. São também avaliados a anodização, pintura, roldanas, fechos, parafusos, gaxetas e escovas.

O PSQ de Portas e Janelas de Correr de Alumínio envolve todas as etapas de fabricação das esquadrias – desde a extrusora, o sistemista, passando pelo fabricante de esquadria e os fabricantes de componentes. “Estamos fazendo nossa lição de casa. Este é um trabalho de anos, mas que certamente será fundamental para a organização do nosso setor e a criação de um ambiente de competição justa, com segurança para o consumidor e o reconhecimento do papel essencial que as esquadrias de alumínio têm hoje para a construção civil”, finaliza Alberto Cordeiro, vice-presidente de Programas de Qualidade e novo presidente eleito da entidade.

Clique aqui para baixar o novo relatório. Outros materiais também estão disponíveis, como o Resumo Executivo, o Texto Referência e os Fundamentos Técnicos do Programa, clique nos links para acessar.

Empresa se manifestou nos autos da ação civil pública e informou ter cumprido a determinação judicial

O trabalho de combate à não conformidade no setor de esquadrias de alumínio, desenvolvido pela AFEAL, vem mostrando resultados efetivos. Neste mês de outubro, a JR Esquadrimar se manifestou em juízo, alegando ter cumprido as determinações judiciais e que, desde 2013, não produz qualquer produto em desconformidade e que não há mais produtos daquela época em postos de venda.

A empresa anexou ao processo a publicação da sentença em dois jornais de ampla circulação – Agora SP e Gazeta de SP (clique aqui para ver as publicações). Segundo Lígia Armani Michaluart, advogada da AFEAL, trata-se da finalização de um amplo trabalho da AFEAL junto ao fabricante, que começou com a identificação junto ao mercado das peças em desconformidade, deu ensejo ao ajuizamento de ação civil pública contra o fabricante e terminou com a empresa cumprindo a determinação judicial.

Após verificar que a sentença foi cumprida, o juiz determinou a publicação de edital, nos termos do artigo 94 do Código de Defesa do Consumidor, para que os consumidores lesados sejam informados, dando-lhes oportunidade de requerer, durante o período de um ano indenização por prejuízos que os produtos tenham lhes causado.

Para o presidente da AFEAL, Antônio Antunes, a medida é importante, pois mostra o trabalho firme da entidade no combate a não conformidade. “Nosso intuito é o de agir constantemente para que a não conformidade sistêmica seja coibida de maneira eficiente e efetiva. Somos incansáveis quando o assunto é cumprimento de norma. Todos os produtos feitos por nossos associados precisam obedecer aos mínimos padrões de segurança e qualidade e é inconcebível que produtos que coloquem esta segurança em risco sejam colocados no mercado”, afirma. “E, para facilitar a vida do empresário, o PSQ – Programa Setorial de Qualidade – é a melhor ferramenta para garantir que sua esquadria esteja efetivamente cumprindo as normas técnicas”, finalizou.

 

 

 

Gostaríamos de, por meio deste comunicado, esclarecer às construtoras e varejistas de todo o Brasil sobre o atual andamento do Programa Setorial de Qualidade de Portas e Janelas de Correr de Alumínio e sobre propaganda enganosa que algumas empresas não participantes do programa vêm fazendo, colocando em risco suas empresas e seus clientes.

O relatório setorial 001, de junho de 2018, com as empresas qualificadas pelo programa já está publicado no site do Ministério das Cidades. Estas são importantes ferramentas para sua empresa na hora de comprar. Procure o nome de seu fornecedor nas listas. Se não encontrar, oriente-o para que participe do programa. Esta é uma garantia importante para você e para seu consumidor final de que as portas e janelas que está oferecendo a eles são seguras e com qualidade comprovada.

Há ainda empresas que não participam do programa e que, deliberadamente, fabricam produtos fora de norma, mas que, em seu discurso de venda, utilizam o nome ou o logotipo do programa de má fé, como propaganda enganosa, visando ludibriar construtoras e varejistas a fim de aumentar suas vendas, dizendo que fazem parte do PSQ.

A AFEAL – Associação Nacional de Fabricantes de Esquadrias de Alumínio e a ABAL – Associação Brasileira do Alumínio alertam: fiquem atentos! Se presenciarem este tipo de prática, denunciem. Lembrem-se: a lista oficial do Ministério é seu instrumento para diferenciar os fornecedores no mercado.

Para mais informações ou dúvidas, entre em contato com a AFEAL no telefone (11) 3221-7144 ou com a ABAL, no (11) 5404-6450.

Nivelar nosso mercado por cima e garantir qualidade e bom desempenho é um compromisso de toda nossa cadeia produtiva! Contamos com vocês!

Antônio Antunes, presidente da AFEAL
Milton Rego, presidente executivo da ABAL

Em ação civil pública contra a JR Esquadrimar, de número 1032583-56.2016.8.26.0100, cuja sentença transitou em julgado no dia 03/07/2018, a empresa foi condenada a se abster de fabricar e comercializar produtos em desconformidade com a Norma Técnica ABNT NBR n. 10821, ou outra norma que venha a substituí-la, e a retirar do mercado produtos assim fabricados, sob pena de multa diária de R$5 mil.

O pedido de representação feito pela Afeal perante o Ministério Público foi o que originou a ação civil pública. Essa é uma das funções do Programa Setorial da Qualidade (PSQ) no combate à desconformidade.

Na sentença, que não cabe recurso, o juiz estabeleceu a obrigação do fabricante de esquadrias em indenizar os danos patrimoniais causados aos consumidores que adquiriram os produtos em desconformidade. E a arcar com os custos de divulgação da decisão judicial em dois jornais de grande circulação, no prazo de 30 dias, sob pena de pagamento, em caso de não cumprimento, de multa diária de R$1 mil.

Além disso, caso a empresa continue a fabricar e comercializar os produtos em desconformidade, a Afeal informará ao juiz, para aplicação das penalidades estabelecidas em sentença.

São Paulo, 03 de julho de 2018 – Agora é oficial: o Relatório Setorial nº 001, de junho de 2018 já está publicado no site do Ministério das Cidades e aponta a primeira relação de fabricantes de esquadrias de alumínio qualificados.  O relatório vale de 1º de julho a 1º de outubro de 2018. A tabela de fabricantes de esquadrias de alumínio qualificados é uma importante referência para as construtoras, indústria, varejo e consumidor final que, pois aponta as empresas que efetivamente se preocupam com a qualidade dos produtos que colocam no mercado.

Um ano após a oficialização do programa por parte do Ministério das Cidades, a AFEAL – Associação Nacional de Fabricantes de Esquadrias de Alumínio, mantenedora do programa e a ABAL – Associação Brasileira do Alumínio, co-participante, anunciam ao mercado a primeira lista de empresas classificadas como qualificadas atendendo a todas as normas necessárias e estabelecidas para garantir total qualidade e segurança do usuário.

“Nesta primeira etapa, nosso PSQ avaliou especialmente os sistemistas e os fabricantes de esquadrias de alumínio que possuem seus próprios sistemas. As homologações abrem as portas para a participação dos fabricantes de esquadrias de alumínio que utilizam estes sistemas. Todas estas ações visam garantir que as portas e a janelas de alumínio, comercializadas em todo o Brasil, propiciem a segurança, a durabilidade e o conforto esperados pelos usuários”, explica Antônio Antunes, presidente da AFEAL.

De acordo com Milton Rego, presidente-executivo da ABAL, a divulgação da tabela é um passo importante para a consolidação desde programa que pretende esclarecer o consumidor e auxiliá-lo na escolha das melhores portas e janelas de alumínio. “Tenho certeza de que todo o esforço empreendido pelos agentes envolvidos, incluindo nossas associadas, trará mais competitividade para a indústria nacional do alumínio e segurança aos brasileiros”, conclui o presidente.

Para Alberto Cordeiro, vice-presidente de Qualidade da AFEAL, a publicação da tabela é um momento muito importante do programa, que cada vez mais ganha vida e reconhecimento. “Nosso objetivo final de organização setorial e combate à não-conformidade está cada vez mais avançando. Foi um trabalho árduo, desde a formatação do programa, o apoio do Ministério das Cidades, o início dos testes, a adesão das empresas. Ainda temos um longo trabalho pela frente, mas temos certeza de que o envolvimento de toda a cadeia produtiva, inclusive com a participação da ABAL, extrusoras, sistemistas, fabricantes de componentes, fabricantes de esquadrias e de todos que acreditam em nivelar nosso produto por cima é o que nos ajudou a chegar até aqui. Estamos muito felizes e com um horizonte imenso de trabalho pela frente”, afirma.

Repercussão no mercado

A publicação da primeira tabela de fabricantes de esquadrias de alumínio qualificados pelo PSQ é um marco e certamente ganha o reconhecimento dos diversos setores envolvidos, que aguardavam a lista de qualificados.

“Para a indústria da construção, é bastante relevante a iniciativa da AFEAL com a publicação da primeira lista de empresas qualificadas pelo Programa Setorial de Qualidade de Portas e Janelas de Correr de alumínio. Trata-se de uma importante ferramenta para o atendimento dos confortos acústico e térmico, exigidos pela Norma de Desempenho de Edificações. Beneficiam-se os usuários de imóveis e o setor da construção!”, afirma José Romeu Ferraz Neto, Presidente do SindusCon-SP.

“A Anamaco valoriza o Programa Setorial de Qualidade pela proposta de trazer para toda a cadeia produtiva, uma legitimidade acerca dos produtos comercializados pelo setor. Ao representar os comerciantes de material de construção, é nosso dever orientá-los para que todos os estabelecimentos comercializem apenas as mercadorias com qualidade atestada pelos PSQs, reduzindo possíveis falhas que o cliente final possa encontrar.  Chegou a hora de reconhecer as empresas que trabalham com qualidade, correspondendo às expectativas ao oferecer o melhor produto possível”, diz Cláudio Elias Conz, presidente da Anamaco – Associação Nacional dos Comerciantes de Materiais de Construção.

“A melhoria contínua das esquadrias de alumínio indica o caminho evolutivo do mercado como um todo, incluindo a capacitação das pessoas e das empresas e a evolução dos materiais e sistemas de esquadrias, com isso o PSQ tem papel protagonista indicando processos e ensaios que irão assegurar ao consumidor um produto de qualidade comprovada dando assim maior credibilidade para o setor”, explica Crescêncio Petrucci Júnior, consultor em esquadrias.

“A ABRAINC apoia e recebe com grande satisfação a notícia da publicação no site do Ministério das Cidades da lista de empresas qualificadas pelo Programa Setorial de Qualidade de Portas e Janelas de Correr de Alumínio, desenvolvido pela AFEAL– Associação Nacional de Fabricantes de Esquadrias de Alumínio. Trata-se de ação de grande importância ao combate à produção em não-conformidade com as Normas Técnicas, propiciando um ambiente de isonomia competitiva, fomentando aumento dos padrões de produtividade e redução de custos”, afirmou Luiz Antonio França, presidente da ABRAINC, Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias.

Entenda o relatório

Os produtos avaliados foram as janelas de correr de alumínio para dormitórios e salas com duas folhas de vidro com dimensões máximas de 1,2m x 1,5m e vidro na menor espessura de comercialização daquele sistema de perfis; as janelas de correr de alumínio para dormitórios e salas com três folhas com veneziana, de dimensões máximas de 1,2m a 1,5m e vidro na menor espessura de comercialização daquele sistema de perfis; e, por fim, as janelas de correr de alumínio para dormitórios e salas com duas folhas de vidro e persiana integrada, de dimensões máximas também de 1,2m x 1,5m com vidro na menor espessura para comercialização.

Entre os ensaios realizados, foram feitos testes de permeabilidade ao ar, estanqueidade à água, resistência a cargas distribuídas, verificação de resistência ao esforço horizontal, à flexão da esquadria e sob ações repetidas de abertura e fechamento. Também foram realizados testes de especificações dos perfis, tratamentos de anodização e pintura, bem como testes nas roldanas, fechos, parafusos, gaxetas e escovas.

Foram avaliadas 92 amostras, referentes a 11 linhas diferentes de esquadrias de 4 empresas sistemistas, totalizando 122 ensaios de avaliação de janelas, 86 de avaliação de perfis e 61 de componentes.

A relação de empresas fabricantes multi-sistemas, aqueles que, para cada obra, oferecem portas e janelas utilizando um sistema específico e não fornecem sistematicamente esquadrias fabricadas a partir das mesmas linhas de perfis, também aparece no relatório setorial. O relatório completo pode ser acessado neste link.

Diversas outras empresas já estão em processo de ensaio e poderão sair na próxima tabela de qualificados. Para mais informações sobre como participar, entre em contato com a AFEAL pelo telefone 11 3221-7144.

 

A adesão do fabricante multi-sistemas ao PSQ já pode ser efetivada!

E o nome da sua empresa já pode estar na próxima lista do Ministério das Cidades, que será divulgada nas próximas semanas, ao lado das empresas qualificadas que trabalham com sistemas próprios, uma vez que já temos sistemistas homologados pelo programa!

A modalidade multi sistemas foi criada para os fabricantes de esquadrias que, para cada obra, oferecem portas e janelas utilizando um sistema específico. Portanto, não fornecem sistematicamente esquadrias fabricadas a partir das mesmas linhas de perfis.

Para obras distintas, eles podem fornecer portas e janelas fabricadas com sistemas diferentes, que podem ser de mais de um sistemista homologado pelo programa.

Alguns detalhes são importantes:
– O nome da sua empresa já estará na lista do PSQ de junho como fabricante multi-sistemas!
– Os ensaios serão realizados especificamente para cada obra contratada.
– Você terá a oportunidade de acessar novos clientes que já estão procurando empresas qualificadas. Temos diversas construtoras que procuraram pela AFEAL em busca de empresas com o nome na lista do PSQ. Vocês terão acesso a essas informações.

Entre em contato conosco para saber os detalhes e as vantagens dessa adesão: 11 3221-7144.

Juntos somos mais fortes!

 

Você sabia que pode participar do PSQ de Portas e Janelas de Correr de Alumínio como um fabricante multi-sistemas?

Esta modalidade foi criada para os fabricantes de esquadrias que, para cada obra, oferecem portas e janelas utilizando um sistema específico. Portanto, não fornecem sistematicamente esquadrias fabricadas a partir das mesmas linhas de perfis.

Para obras distintas, eles podem fornecer portas e janelas fabricadas com sistemas diferentes, que podem ser de mais de um sistemista homologado pelo programa.

Assista ao vídeo a seguir e fique por dentro de como funciona!

 

 

No mês de abril, a não conformidade sistêmica sofreu mais uma derrota com uma decisão colegiada do Tribunal de Justiça de SP. Trata-se do processo número 1032583-56.2016.8.26.0100. Esta já é a segunda fabricante condenada por fabricar fora de norma. A empresa vinha produzindo sem a observância das normas técnicas e a AFEAL procurou o Ministério Público, requerendo a instauração de inquérito civil. Como restou comprovada a não conformidade e a empresa não demonstrou interesse em assinar o Termo de Ajuste de Conduta, o MP ajuizou uma ação civil pública contra a fabricante. A AFEAL atuou em todos os trâmites como assistente do MP e a sentença acolheu o pedido para condenar o Fabricante ao cumprimento da norma técnica vigente.

Com essa decisão, a empresa está obrigada a se abster de fabricar e comercializar produtos fora de norma, bem como a retirar do mercado todos os seus produtos nestas condições em 30 dias, sob pena diária de R$ 5 mil. Ela também foi condenada a indenizar danos patrimoniais causados aos consumidores que adquiriram seus produtos fora de norma.

Este resultado foi fruto de um árduo trabalho da AFEAL e é apenas um exemplo de como o combate a não conformidade vem sendo realizado de maneira efetiva.

Fabricar dentro de norma é obrigação da nossa cadeia produtiva. Promover um ambiente de isonomia competitiva e de segurança para os consumidores é uma das maiores bandeiras da nossa entidade. Vamos juntos!